Resenha: O Vendedor de Sonhos - O Chamado

Título: O Vendedor de Sonhos
Subtítulo: O Chamado
Autor: Augusto Cury
Editora: Academia de Inteligência
Páginas: 296


    Sinopse:

    Um homem maltrapilho e desconhecido tenta impedir que um intelectual se suicide.
    Um desafio que nem a polícia nem um famoso psiquiatra tinham sido capazes de resolver. Depois de abalá-lo e resgatá-lo, esse homem, de quem ninguém sabe a origem, o nome ou a história, sai proclamando aos quatro ventos que as sociedades modernas se converteram em um hospício global. Com uma eloquência cativante, começa a chamar seguidores para vender sonhos em uma sociedade que deixou de sonhar. nada tão bela e tão desastroso... Ao mesmo tempo em que arrebata as pessoas e as liberta do cárcere da rotina, arruma muitos inimigos. Será ele um sábio ou o mais louco dos seres? Um romance que nos fará chorar, rir e pensar muito.



 
    Minha Opinião:

    É um livro que nos faz pensar na vida, em como ela é vivida, é aquele tipo de livro que nos faz pensar, e muito, se a gente tá vivendo da maneira correta. Mas eu não gostei, no começo parece ser super legal, mas depois fui descobrindo que não é.
    O livro fala muito do psíquico e eu achei chato. Os personagens são bem descritos, assim como os lugares. É meio difícil falar de um livro que você achou chato kkkkkk, mas vamos lá, certos pontos do livro são legais, como o começo, a parte em que os personagens ficam em baixo de um viaduto (passam a noite). Apesar de não ter me dado bem com esse livro, eu tenho vontade de ler os outros, porque penso que posso gostar dos outros.


   
    Edição:
   
    A minha edição é econômica, então a capa é fininha, as folhas são brancas, mas a capa é fosca e o desenho dela é lindo *-*, a cor, a neblina atrás. Tudo lindo, mas como disse a capa é fininha e muito maleável, nem tem orelha nem nada, mas não posso reclamar muito, até porque foi baratinho kkkkkk.


    Trechos: 

    "Em seguida nos conduziu para um lugar aberto. Não era uma praça, mas tinha algumas árvores; o ar ali era menos poluído."

    "De repente, teve uma reação que eu nunca havia presenciado. Vários pais passaram por nós levando os filhos, entre sete e nove anos, para as compras. Eles estavam muitíssimo bem-trajados, no rigor da moda, todas as peças combinando. Tinham celular na mão. Mas revelavam evidente insatisfação."

    "Estávamos preocupados. Olhamos para o mestre e começamos a perceber que o novo membro da família nos faria entrar literalmente numa fria, num banho gelado, inclusive ele."


    Nota: Leva 8,0 pelos motivos citados.


    E-mail: minhapequenaestante@hotmail.com
    Facebook: https://www.facebook.com/eueminhapequenaestante
    

Comentários

  1. Ótima resenha parabéns pequeno camponês '-'

    ResponderExcluir
  2. Ei, falando mal de Augusto Cury! Brincadeira, você tem seu direito de não gostar, mas os livros dele geralmente são para refletir e usa a psicologia mesmo. Eu ainda não li, mas espero gostar. Com certeza acho que gostarei. Adorei a resenha, beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahaha eu estou falando mal do livro não do autor, por isso acho que posso gostar dos outros.

      Excluir
  3. Oi, Felipe.

    Sou louca para ler algo dela, mas ainda não tive oportunidade, mas assim que tiver vou ler.

    Beijos Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário